Formação Literatura e Sociedade - o exemplo do Médico à Força de Molière

programa definitivo.png
Captura de ecrã 2022-01-24, às 08.29.33.png

"Molière: um dramaturgo intemporal" - conferência de Leonor Martins Coelho, dia 4 de fevereiro, às 10h - Salão Nobre do Teatro Municipal Baltazar Dias.

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.

Leonor Martins Coelho é Doutorada em Estudos Interculturais, pela Universidade da Madeira. Realizou os seus estudos de licenciatura na Universidade de Paris IV - Sorbonne e de mestrado na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É Professora Auxiliar na Faculdade de Artes e Humanidades da UMa, onde leciona unidades curriculares com incidência nos Estudos de Cultura e de Literatura, no âmbito do 1º e 2º Ciclos. É, atualmente, Diretora do Doutoramento em Literaturas e Culturas Insulares da UMa. É investigadora do Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa, no cluster "Viagem e Utopia", integrado no Grupo LOCUS.
Neste momento, é
- Diretora de Curso do Doutoramento em Literaturas e Culturas Insulares;
- Membro do Conselho Científico da Faculdade de Artes e Humanidades
- Membro da Assembleia da Faculdade de Artes e Humanidades

Captura de ecrã 2022-01-24, às 08.33.51.png

Pedro Nunes (dentista) participa no painel "Doitores, doitores, medicina(s) à parte, no dia 4 de fevereiro, às 11h 30.

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.

Pedro Luís, Domingues da mãe, Nunes do pai, 36 anos vividos.
Arraçado de madeirense com continental, mas indiscutivelmente ilhéu.
Pai de 3 filhos e de uma mulher a tempo inteiro.
Médico dentista, em part time e à experiência, há 13 anos.
Cronista e comentador desportivo nas horas vagas.
Nos tempos livres procuro não fazer nada.

Captura de ecrã 2022-01-24, às 08.36.20.png

Sandra Cardoso (Educadora de Infância) participa no painel "Doitores, doitores, medicina(s) à parte, no dia 4 de fevereiro, às 11h 30.

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.

Nasceu a 10-05-1078, tendo como berço e residência a freguesia da Camacha, terra onde cresceu e criou raízes.
Formou-se na Universidade da Madeira e é licenciada em Educação de Infância.
Desde muito cedo, tinha o sonho de experimentar as artes do palco, mas foi por volta dos 18 anos que surgiu a oportunidade de integrar o Grupo de Teatro da Camacha. Aí iniciou o seu percurso artístico e ao longo de vários anos subiu aos palcos em
diferentes registos, integrando várias produções artísticas.
Durante o período de 2017 a 2020, é destacada profissionalmente para a Associação Teatro Experimental do Funchal, passando a integrar as produções da companhia.
Em 2020, o gosto pela tradição levou-a a criar o projeto "A Biqueira", onde pretende dar voz e testemunho dos nossos costumes associados à gastronomia madeirense.
No presente ano letivo, encontra-se a exercer funções na Associação Recreativa e Cultural "Atremar a Ilha", continuando a realizar um trabalho de recolha, registo e divulgação dos costumes e tradições da cultura madeirense.


 

Captura de ecrã 2022-01-24, às 18.39.57.png

Ana Carina Teixeira participa no painel "Doitores, doitores, medicinas à parte".

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.

Ana Carina Teixeira:
Licenciada em Dietética pela Escola Superior de Tecnologia de Lisboa, em 2006. Pós-Graduada em Desenvolvimento, Diversidades Locais e Desafios Mundiais, pelo ISCTE em 2010. Certificação Internacional e Avançada em Nutrição e Desporto pela WELLXPRO SCHOOL E TUDOR BOMPA INSTITUTE, em 2015 e 2018. Tem diversas formações na área da educação não formal para jovens e crianças e teatro. Desenvolve trabalhos como atriz desde 2001 e como produtora desde 2012.
Realizou funções como monitora de estágio em escolas e como coordenação de Cursos de Verão, pela Escola Superior de Saúde de Lisboa, na área da Promoção da Saúde e Educação Alimentar. De 2007 a 2010 foi responsável pelo Aconselhamento Nutricional na gravidez e para Lactentes/Bebés até 3 anos de idade, pela Milupa Comercial S.A, Lisboa.
Formadora em Nutrição desde 2007, em ensino avançado, creche e pré-escolar, ensino básico, ensino secundário e ensino superior, centros sociais e associações. Exerce consultas de nutrição e emagrecimento, nutrição clínica, nutrição desportiva e nutrição materno-infantil desde 2007, em ginásios e clínicas médicas e de nutrição. Escreve mensalmente, para o Jornal da Madeira – artigos de opinião. Atualmente, é nutricionista na Bioforma – Serviço Bioformula +, consulta de nutrição funcional e individualizada.

Captura de ecrã 2022-01-26, às 18.41.35.png

Rui Barata participa no painel "Educando a Escola pelo Teatro", no dia 4 de fevereiro, às 14h 30.
 

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.


Rui Barata nasceu em Bragança em 1977. Em 2000, concluiu a licenciatura em Professores do Ensino Básico – variante de português e inglês. Ingressou, nesse mesmo ano, nos quadros da Secretaria Regional da Educação, Ciência e Tecnologia. A experiência profissional no ensino é bastante abrangente. Lecionou português a adultos, foi professor-animador numa biblioteca municipal, lecionou inglês na educação pré-escolar e no primeiro ciclo, português e inglês no segundo ciclo. Participou, enquanto ator, em diversas produções da Companhia Contigo Teatro e GATO – Grupo de Amigos do Teatro. Desta última é sócio fundador e um dos dirigentes. Desde 2019, leciona a disciplina de teatro na EB 2, 3 do Estreito de Câmara de Lobos, no âmbito da oferta do complemento à educação artística desta escola.

Captura de ecrã 2022-01-30, às 22.08.35.png

Diana Pita participa no painel "Educando a Escola pelo Teatro", no dia 4 de fevereiro, às 14h 30

Diana Pita é natural da Ponta do Sol, tendo iniciado a sua prática teatral aos 12 anos na Casa do Povo daquele concelho. Atualmente, é docente de Teatro no Curso Profissional de Artes do Espetáculo – Interpretação, no Conservatório Escola Profissional das Artes da Madeira.
A nível de formação académica, é mestre em Ensino da Educação Musical
no Ensino Básico, pela Escola Superior de Educação de Coimbra, desde 2018. É licenciada em Educação Musical no Ensino Básico, pelo Instituto Superior de Educação de Odivelas, desde 2013, e também licenciada em Teatro e Educação, pela Escola Superior de Educação de Coimbra, desde 2010.
No âmbito da sua preparação profissional, trabalhou com diversos
encenadores e pedagogos nacionais e internacionais, nomeadamente, António Mercado, António Fonseca, Clóvis Levi e Simoni Boer.
Ao longo do seu percurso artístico, desenvolveu vários projetos enquanto
atriz e encenadora. Destes, destaca-se a sua participação no elenco de
“Con(m)texto”, em 2011, assim como a responsabilidade pela encenação dos projetos “A morte de Ricardo Reis”, “Ruído Estático”, “Fora de Formato”,
“Concorda?”, “Lago”, “Ponto da Situação” e “Saltos Altos”, levados ao público em importantes palcos da região, entre os quais o Teatro Municipal Baltazar Dias, Museu de Arte Contemporânea (Mudas), Museu da Imprensa, etc. Em alguns destes projetos, estabeleceu parcerias de âmbito nacional, nomeadamente com a produção de “Lago”, inserida no projeto PANOS, com organização do Teatro Nacional D. Maria II.
Exerceu ainda funções de direção artística do grupo de Teatro “Línguas de
Palco” e de coordenação da modalidade artística de Expressão Dramática/Teatro, entre 2016 e 2019, no âmbito da Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia. Neste serviço, exerceu ainda funções na área de Produção e integrou a Equipa de Animação, com manipulação de marionetas.
Tem vários anos de experiência no ensino do Teatro, em diferentes faixas
etárias, na Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia e, atualmente, no Conservatório Escola Profissional das Artes da Madeira. Tem ainda experiência de formação na área de Expressão Dramática e Teatro, tendo até ao momento dinamizado ações formativas destinadas a professores de várias áreas disciplinares.

Captura de ecrã 2022-01-31, às 19.25.23.png

Carla Martins participa no painel “Educando a Escola pelo Teatro” no dia 4 de fevereiro, às 14h30.

Diana Pita participa no painel "Educando a Escola pelo Teatro", no dia 4 de fevereiro, às 14h 30.

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.

Carla Marta Freitas Martins é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas – Variante de Estudos Portugueses (2000) e mestre em Ensino da Língua e Literatura Portuguesas (2008). É professora de Português na Escola Secundária Jaime Moniz.
Fez parte de projetos escolares que envolveram representações teatrais, na Escola B23 Dr. Alfredo Ferreira Nóbrega Júnior (2001-2002), na EB123/PE Bartolomeu Perestrelo (2002 a 2005), no Conservatório - Escola Profissional das Artes – Engº Luíz Peter Clode.
Foi uma das coordenadoras do grupo de teatro escolar O MONIZ - Carlos Varela durante o período compreendido entre setembro de 2014 e agosto de 2021.

Captura de ecrã 2022-02-02, às 09.53.07.png

Teresa Carvalho participa no painel “Violência ou amor: decide”, no dia 4 de fevereiro, às 16h30.

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.


IDENTIFICAÇÃO
Nome: Maria Teresa de Ornelas Carvalho
Data de Nascimento: 05/11/1958

1 FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Curso de Enfermagem – Conclusão em 1980
Curso de Psicologia (Cédula Profissional Nº 4427) – Conclusão em 1988
Especialidades em Psicologia:
• Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde
o Psicoterapia
• Especialista em Psicologia do Trabalho, Social e das Organizações
o Psicologia Comunitária
• Especialista em Psicologia da Justiça
3. FORMAÇÃO COMPLEMENTAR
“Curso Terapia Familiar” – Pós Graduação
Curso de Especialização pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar,
Lisboa
“Curso de Mediação Familiar” – Pós Graduação
Pós-Graduação, Pelo Instituto Português de Mediação Familiar.

2 . EXERCÍCIO PROFISSIONAL
a. – Exerceu funções de Enfermeira
Entre 1980 -1990
b. Exerceu funções de Psicóloga
1. 1990 - 1996 - No Instituto de Reinserção Social – Equipa do Funchal
2. 1996 - 2010 - No Centro de Segurança Social da Madeira / Instituto de
Segurança Social da Madeira, IP-RAM:
• 1996 – 2002 - No Centro Polivalente do Funchal
• 2002 - 2017 - Na Equipa de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica.
• Desde 24/01/2017 – Direção da Unidade de Assessoria Técnica (UAT), do
Departamento de Apoio à Família Infância e Juventude (DAFIJ).do ISSM, IP-RAM

Captura de ecrã 2022-02-02, às 09.55.35.png

Carlos Pragana participa no painel “Violência ou amor: decide”, no dia 4 de fevereiro, às 16h30.

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.

Carlos Manuel da Silva Pragana Galhanas
Sociólogo e Subintendente da PSP em funções de Assessor Técnico do Gabinete de Apoio ao Sr. Comandante ingressou na PSP em 1985 como guarda no Comando de Lisboa, sendo promovido a subchefe em 1990, iniciando a sua fase de comando de esquadras que passou por Serpa/ Moura/ e como oficial 1998 pelo comando de Angra do Heroísmo/Praia da Vitória/Elvas/Funchal/.
Já como comissário, desempenhou as funções de Adjunto do Comando da Divisão de Machico/Divisão de Segurança Aeroportuária/ Adjunto da Divisão Policial de C. Lobos/ Adjunto da Divisão policial do Funchal / Chefe de Núcleo de Operações e de Informações do Comando Regional.
Esteve sempre ligado ao fenómeno da Violência Doméstica, sendo formador no I Plano Regional Contra a VD; tendo participado no II Plano Regional e atualmente foi designado como representante da PSP no III Plano Regional Contra a Violência Doméstica.

Captura de ecrã 2022-02-04, às 06.56.19.png

António Franco participa no painel "Doitores, doitores, medicinas à parte".

LITERATURA E SOCIEDADE: o exemplo de "Médico à Força" de Molière.




António Franco
_ Licenciatura na Escola Superior de Saúde Setúbal
_ Licenciatura em Medicina Tradicional Chinesa
_ Especialidade em Kinenologia Holistica Integrada
_ Certificado em Biofeedback pela BANHS_ THe Board of Advanced Natural Health Sciences